Henrique Meirelles: reformas vão melhorar a produtividade da economia brasileira

Agora é a hora de investir no Brasil, destaca o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. Ele ressalta que o País vive um momento único, pois está saindo de uma recessão, resolvendo os problemas que nos últimos anos levaram ao recuo da economia e está adotando reformas que vão aumentar a taxa de crescimento futura. “A aprovação do teto dos gastos, o avanço da reforma da Previdência, tudo isso está consolidando a confiança na economia brasileira”, disse Meirelles, em entrevista à equipe do Fórum de Investimentos Brasil 2017. O evento será realizado nos dias 30 e 31 de maio em São Paulo, focado na apresentação das oportunidades de negócios no País a agentes estrangeiros. Confira abaixo a entrevista:

FIB 2017 - O Brasil superou definitivamente o ciclo de recessão iniciado em 2014? Como o governo federal está agindo para garantir a retomada do crescimento sustentado?

Henrique Meirelles - O Brasil já saiu da recessão. Segundo dados do Banco Central, já houve um crescimento no mês de janeiro e um crescimento ainda maior no mês de fevereiro. As nossas previsões indicam um crescimento sólido no primeiro trimestre. Isto consolida a recuperação da economia que se iniciou no final do ano de 2016. O governo está lançando uma série de reformas visando melhorar a produtividade da economia brasileira, o que significa facilitar a produção no País e o trabalho de pessoas físicas e pessoas jurídicas, por meio de mecanismos de facilitação de crédito, de desburocratização, de viabilização de recuperação de empresas em dificuldades, etc. Em resumo, existe um trabalho intenso visando garantir que o Brasil não só volte a crescer, mas volte a crescer a taxas mais elevadas do que no passado.

FIB 2017 - O Brasil vem implementando um conjunto de reformas estruturantes que buscam o ajuste dos gastos públicos e a modernização da economia. De que maneira a execução dessas medidas trará maior confiança e interesse para o investidor externo?

Meirelles - Essas medidas são de fundamental importância na retomada do investimento externo. O Brasil sofreu um processo de queda de confiança de 2011 até 2016. As razões foram fundamentalmente ligadas ao aumento das despesas públicas e da dívida pública. No momento em que o governo toma medidas importantes de ajuste fiscal, isso resolve o principal problema que levou à recessão no Brasil, que é exatamente a trajetória de crescimento sustentável das despesas e da dívida pública no Brasil. A partir daí, a confiança está se recuperando e os investimentos estão aumentando e, na medida em que exista uma perspectiva de continuada melhora da economia, de continuada melhora da confiança, os investimentos passam a vir naturalmente.

FIB 2017 - Em março, a Moody’s elevou a perspectiva da nota do Brasil de negativa para estável. Em sua opinião, isso já reflete a retomada da credibilidade internacional? Já há uma previsão de aumento de investimento nos próximos meses?

Meirelles - Sim. A melhora das perspectivas das agências é exatamente um reflexo direto da melhora da situação fiscal do Brasil. A aprovação do teto dos gastos, o avanço da reforma da Previdência, tudo isso está consolidando a confiança na economia brasileira. E em consequência, estão aumentando os investimentos e as previsões são que haverá durante o correr deste ano e do próximo um continuado aumento de investimentos no Brasil.

FIB 2017 - Como melhorar a colocação do Brasil no ranking “Doing Business” do Banco Mundial, que mede leis e regulações que facilitam ou dificultam as atividades das empresas?

Meirelles -Existe um grupo de trabalho conjunto da área econômica com o Banco Mundial visando fazer uma série de reformas para resolver esses problemas que são apontados pelo banco como aqueles que criam dificuldade para se produzir no País. Estamos chamando de reformas microeconômicas. São reformas centradas, em primeiro lugar, na melhora do crédito, por meio da instituição do cadastro positivo, da central única de registro de duplicatas e recebíveis para melhorar garantias de crédito, a melhora na Lei de Recuperação Judicial, etc. Além disso, existe uma série de outras medidas visando diminuir a burocracia. Por exemplo, diminuindo enormemente o número de horas que as pessoas e as empresas gastam para pagar impostos ou para registrar ou abrir empresas no País. Em resumo, existe uma ampla lista de medidas visando a assegurar que o Brasil não só melhore a sua produtividade, mas que isso seja refletido nos índices medidos pelo Banco Mundial.

FIB 2017 - Este é um bom momento para investir no Brasil? Por quê?

Meirelles - Este é um excelente momento porque o Brasil está saindo de uma recessão, está resolvendo os problemas que causaram a recessão dos últimos anos, além de que está fazendo reformas que vão aumentar a taxa de crescimento futura do País.

Compartilhe

Outras Notícias

05/05/2017

Hora de investir no Brasil

16/05/2017

Plano da Petrobras prevê parcerias que são oportunidade única, diz presidente da estatal

16/05/2017

FIB 2017: oportunidades únicas de negócios em um novo momento do Brasil