Plano da Petrobras prevê parcerias que são oportunidade única, diz presidente da estatal

O Brasil modernizou as regras do setor de petróleo e gás. A Petrobras, em processo de reestruturação, busca parceiros, principalmente, ao vender ativos. E novos blocos de exploração de petróleo e gás serão leiloados já este ano. Diante desses três fatores positivos, o setor reúne boas oportunidades de negócios.  “Acredito que a definição de regras de conteúdo local que sejam factíveis, assim como a mudança na Lei do Petróleo [que desobriga a Petrobras a participar de todos os blocos do pré-sal] e a definição de um calendário de leilões fazem parte de um tripé que atrai o investidor para o país”, disse o presidente da Petrobras, Pedro Parente, em entrevista à equipe do Fórum de Investimentos Brasil 2017. O evento será realizado nos dias 30 e 31 de maio em São Paulo, focado na apresentação das oportunidades de negócios no País a agentes estrangeiros. Confira abaixo a entrevista:
 

 

FIB 2017 – O processo de recuperação e reorganização da Petrobras, incluindo a venda de ativos, representa boas oportunidades para o investidor internacional? Por quê?


Parente – Num momento em que o mercado internacional ainda é bastante líquido, todas as oportunidades de investimentos estão sendo escrutinadas pelos investidores em escala global. O planejamento estratégico da Petrobras dá ênfase a parcerias e desinvestimentos onde já dissemos claramente que pretendemos buscar parceiros na área de refino, por exemplo, além de sair de ativos em biocombustíveis, fertilizantes e petroquímica. Neste contexto, entendo que a trajetória de recuperação da Petrobras é uma oportunidade única.
 
FIB 2017 – A agência de classificação de risco Moody’s mudou a perspectiva do Brasil de “negativa” para “estável”. Como as mudanças realizadas na Petrobras, que nos últimos meses registrou uma valorização de mercado de 140%, estão auxiliando o País a retomar a confiança do investidor internacional?

Parente – O investidor, estrangeiro ou brasileiro, valoriza transparência, previsibilidade e compromisso com metas. A Petrobras vem seguindo à risca os objetivos anunciados em seu planejamento estratégico e isso mostra consistência e colabora para a recuperação da confiança na empresa e na economia brasileira como um todo. No caso específico da Petrobras, divulgamos um resultado bastante positivo no primeiro trimestre do ano, com lucro de R$ 4,45 bilhões e elevação de 19% no EBITDA [lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização], que atingiu o melhor resultado trimestral para este indicador na história da empresa. Esses resultados mostram, na minha opinião, que o trabalho que vem sendo feito está no caminho certo, e a nossa meta de reduzir o endividamento da companhia de 5,3 vezes o Ebtida no fim de 2015 para 2,5 ao fim de 2018 é factível. 


FIB 2017 – Qual a importância da lei que desobriga a Petrobras a participar de todos os blocos de exploração do pré-sal na atração de novos investimentos em óleo e gás?

Parente – Essa foi uma mudança importante não apenas para a Petrobras, mas para o País. A economia brasileira conseguirá, com os leilões previstos, acelerar a exploração das reservas de petróleo do país e transformar essa riqueza em receitas para que o governo possa investir. No caso da Petrobras, a empresa tem hoje flexibilidade para priorizar seus investimentos. Podemos escolher onde queremos investir e onde queremos ser operadores. Num momento de restrições financeiras, isso significa que a empresa, a partir do vasto conhecimento técnico que acumula, poderá focar seus investimentos nas áreas em que considere que haverá maior retorno.  

FIB 2017 – As novas regras de exigência de conteúdo local contribuem para o plano de reestruturação da Petrobras? O quanto devem impulsionar a presença do investidor estrangeiro no setor?

Parente – As novas regras de conteúdo local representam um avanço importante e outra mudança estrutural no marco regulatório do setor de óleo e gás no Brasil. A Petrobras, é preciso que fique muito claro, apoia uma política de conteúdo local. Somos a favor de regras que estimulem a competição e preparem as indústrias instaladas no país para se tornarem fornecedores globais. Acredito que a definição de regras de conteúdo local que sejam factíveis, assim como a mudança na Lei do Petróleo e a definição de um calendário de leilões fazem parte de um tripé que atrai o investidor para o país.
 

FIB 2017 – Qual a importância do Fórum de Investimentos Brasil 2017 para atrair novos projetos para o setor?
 
Parente – Iniciativas como o Fórum são uma oportunidade ímpar de colocar os diferentes atores envolvidos no processo de investimentos todos juntos e frente a oportunidades e informações que facilitam bastante essas decisões.  A atração de investimentos é a nossa garantia de geração de mais renda, empregos e recursos para o país. Tem que ser uma prioridade, e eventos como

Compartilhe

Outras Notícias

04/05/2017

Henrique Meirelles: reformas vão melhorar a produtividade da economia brasileira

05/05/2017

Hora de investir no Brasil

16/05/2017

FIB 2017: oportunidades únicas de negócios em um novo momento do Brasil